Seja bem-vindo(a)!

Aproveite esta oportunidade para compartilharmos informações, textos, ideias e reflexões a respeito do processo de ensino e aprendizagem.
O conteúdo deste blog é direcionado a professores, coordenadores pedagógicos e diretores de instituições públicas e particulares de ensino, além de psicopedagogos, pais e interessados na prevenção contra problemas de aprendizagem.

Pense Nisso!


Nada está no intelecto que não tenha passado antes pelos sentidos
(Provérbio antigo)

http://www.meusrecados.com/frases_proverbios.php">MeusRecados.com - Frases de Provérbios para Orkut


quarta-feira, 3 de junho de 2009

FILME: AS COISAS QUE MORAM NAS COISAS

O filme "As coisas que moram nas coisas" retrata um contexto familiar muito comum e a capacidade infantil de criar, sonhar, imaginar interrompida pela incompreensão adulta.
O pai das crianças, no filme, os rotula de 'desmiolados', porém adiante revela também o próprio poder criativo, que ao que parece não teve quem o ajudasse a desenvolvê-lo e então repete seu processo educativo na criação dos filhos. Além disso, a cooperação, o trabalho em equipe também perdem espaço quando o pai os manda de volta pra casa porque 'estão atrapalhando' na coleta do lixo para o ganha pãp da família.
Ao chegar na escola, as crianças não têm, na maioria das vezes, a oportunidade de expressão, de criação, e são impedidas por métodos inibitórios de usar a criatividade.
Isso pode acarretar bloqueios, desinteresse, baixa autoestima, indisciplina, enfim, podendo gerar dificuldades de aprenizagem as quais poderiam ser evitadas.
Daí a importância de pensar na função da escola como suprimento de necessidades, pois é lá que muitas crianças esperam encontrar o que não têm em casa.
A situação das crianças no filme pode causar consequências desagradáveis a curto, médio ou longo prazo. Há casos em que o problema se instala de tal maneira que chega ao ponto de exigir atendimento especializado.
Noêmia A. Lourenço
Assista ao filme (curta duração) clicando no link à direita do layout. É maravilhoso também para reflexão.

Nenhum comentário: