Seja bem-vindo(a)!

Aproveite esta oportunidade para compartilharmos informações, textos, ideias e reflexões a respeito do processo de ensino e aprendizagem.
O conteúdo deste blog é direcionado a professores, coordenadores pedagógicos e diretores de instituições públicas e particulares de ensino, além de psicopedagogos, pais e interessados na prevenção contra problemas de aprendizagem.

Pense Nisso!


Nada está no intelecto que não tenha passado antes pelos sentidos
(Provérbio antigo)

http://www.meusrecados.com/frases_proverbios.php">MeusRecados.com - Frases de Provérbios para Orkut


quarta-feira, 14 de outubro de 2009

PROFESSOR / ADOLESCENTE / CRIANÇA / SISTEMA EDUCACIONAL

ANÁLISE DE TEXTOS DO LIVRO “NÓS EDUCADORES”





No livro “Nós Educadores” há várias abordagens acerca dos temas: Professor, Criança, Adolescente e Sistema Educacional.



A leitura nos remete à reflexão sobre pontos fundamentais do processo de ensino e aprendizagem.



Segue a análise.





I - PROFESSOR





O professor que é professor mantém sua postura profissional, interage com o aluno, permite que o educando dirija-se a ele com respeito e do jeito que se sentir melhor, pois, dessa forma, realizam mais satisfatoriamente a aprendizagem.



O professor que é professor cria em sala de aula afetividade e conduz a aprendizagem dos alunos de modo que se tornem cidadãos críticos (claro que se esse professor for cidadão crítico será mais fácil a execução desse trabalho).



Cumprindo seu papel de educador tenta ser o mais flexível possível e consegue driblar as dificuldades que surgem em sua trajetória funcional atingindo melhor desempenho.



Se o professor se compromete com a sua atuação despende atenção, tratamento e ensino adequados aos alunos fazendo dessa maneira com que esses alunos superem suas dificuldades e não sejam discriminados.



As características essenciais do bom e real professor são: empatia, equilíbrio emocional, respeito, doação e entusiasmo. O professor tem que ser professor e acreditar no que faz para obter sucesso.



Ao invés de ser critiqueiro ofendendo a moral dos seus alunos com palavras e observações estupidamente mal colocadas, o professor deve observar seu comportamento e perceber que o correto é ser, diante de seus alunos, Pssoa capaz de transpor qualquer barreira para que eles progridam cada vez mais.



A liderança de um professor está na noção que ele tem do todo e no modo de comunicar-se com os alunos tratando-se de empatia, influência, estímulo, recompensa e compromisso.



Desde o nascimento, infelizmente, aprendemos mais a TER do que SER. Valorizamos o consumismo e há muita competição a partir da família.



O professor sonha ver seu aluno aprovado pelo próprio esforço e é na escola que esse sonho pode ser realizado. Ainda é possível SER e fazer SER.



A Educação é um processo constante, portanto, haverá sempre tempo de ensinar e aprender.



Partindo de uma avaliação de todo o trabalho no final do ano letio e essencialmente uma autoavaliação, as ações para os anos seguintes certamente ficarão cada vez melhores. É necessário ter PACIÊNCIA e não dar crédito aos medíocres que tentam impedir a evolução, eles só reclamam, não sabem e não querem aprender a superar dificuldades, não valorizam o trabalho do outro e muito menos aceitam mudanças.



A aprendizagem é um desafio, a vitória é uma conquista. Os alunos repetem o que o professor ensina até que aprendam, e cabe ao professor incentivar ao aluno.



Encerra-se com uma questão: o professor é o que ajuda através do seu esforço e dedicação aos aprendentes a serem pessoas verdadeiramente cidadãs, ou é aquele que destrói a potencialidade deles?





CONCLUSÃO



 A Interação permanente entre professor e alunos terá como resultados:

- Ausência de agressões;



- Afetividade;



- Consciência crítica do aluno;



- Método de ensino adequado;



- Prazer ao lecionar;



- Coragem para construir;



- Valores respeitados;



- Sucesso profissional;



- Interesse dos alunos nas aulas;



- POSTURA de professor crítico e não de critiqueiro;



- Liderança;



- Concretização de sonhos;



- Objetivos alcançados;



- Melhor desempenho;



- Obstáculos ultrapassados;



- Comemorações por aprendizagens conseguidas;



- Luz e não Trevas.





II - ADOLESCENTES





Os adolescentes são seres em transformação que precisam ser respeitados e amados, para que se sintam mais seguros e se tornem adultos responsáveis.



Tudo indica que nos dias de hoje há grande confusão no entendimento das pessoas quanto à liberdade e libertinagem. Logo a expressão “em mim ninguém manda” é mal interpretada.



As pessoas ora deturpam valores morais e éticos, ora esquecem dos mesmos e é por isso que no mundo global estão ocorrendo tantos conflitos.



Ao que parece os adolescentes estão sem parâmetros e sem limites, precisando de EDUCAÇÃO. Por isso há muita arogância e desrespeito, fazendo com que a solidariedade dê lugar ao individualismo. É cada vez mais necessária a existência de interação dentro da sociedade para que haja progresso.



O comportamento dos adolescentes são reflexos do que eles vêem. Apresentam irreverências surpreendentes e a nós cabe analisar tais atitudes, diagnosticar antes de qualquer ação e buscar hipóteses de modo que esse quadro seja revertido.



Quando o professor se propõe a ajudar o adolescente fazendo com que tenha e mantenha sua autoestima elevada, da mesma forma que o aluno se apaixona por ídolos distantes ou próximos, faz desse professor um ídolo também e por ele se apaixona e nunca mais o esquece.



O professor se torna um espelho e faz com que os alunos descubram suas capacidades. Essa situação pode ocorrer desde a fase inicial do ensino escolar até a pós-graduação.





CONCLUSÃO



- O adolescente é importante para a sociedade, afinal o futuro aguarda suas boas e coerentes ações. Para que isso ocorra deve-se lhe oferecer as ferramentas necessárias.



- A Família é a base da Educação, sendo assim, deve ser a primeira a resgatar os valores para que os adolescentes possam viver de maneira organizada.



- O adolescente necessita de modelos adequados, limites e EDUCAÇÃO para que não se tornem egoístas, interagindo na sociedade dentro dos padrões normais.



- Refletindo o professor encontra vários meios de contornar situações irreverentes e um deles talvez seja adquirir nova conduta, nova postura.



- Com a ajuda do professor o adolescente pode chegar ao sucesso.





III – CRIANÇA





As crianças precisam estar prontas para a aprendizagem.



... Obrigá-las à alfabetização sem que estejam nesse estágio é crime...



... É ir contra as regras da natureza...



Na maioria das vezes a ansiedade vem dos pais e dos professores ao desejarem que num pequeno espaço de tempo a criança seja alfabetizada.



Dessa forma, sem perceberem, fazem com que elas (as crianças) sintam-se frustradas, pois além da possível dificuldade de aprendizagem e/ou falta de prontidão, não conseguem compreender a atitude e a intenção daqueles que querem que elas aprendam.



A aprendizagem acontece através de exemplos inicialmente dos pais.



Apesar disso elas são felizes por excelência, pois buscam somente coisas boas, ao contrário dos adultos que perdem tempo com lamúrias, medos e preocupações.





CONCLUSÃO



- As fases de entendimento da criança devem ser respeitadas.



- Uma vez que todo adulto tem uma criança interior, o ideal será deixar aflorar essa criança para que se possa viver com mais alegria e realmente VIVER.







IV – SISTEMA EDUCACIONAL





A tecnologia está avançando cada vez mais exigindo acompanhamento e adequação. Nada melhor do que começar pela Educação Escolar, grande veículo de formação.



Claro que é de suma importância ter o professor ministrando aulas expositivas as quais são complementares, e para que o aluno se torne autodidata é necessário estrutura adequada partindo da Família, de modo que lhe seja oferecido meios de se instruir com mais amplitude.



A informática carecerá de muito tempo para se estabelecer na educação e o conjunto de que dela dependerá necessitará estar preparado.



No que tange as melhorias na qualidade do ensino tem que haver conscientização de que é imprescindível o comprometimento na interação professor-professor, professor-aluno e professor-direção, para que problemas que geram desestruturação sejam evitados.



Qualquer indivíduo pode lutar por seus direitos de cidadão, porém sem deixar de cumprir os deveres que lhe cabem enquanto profissional da educação.



Existem alternativas para se chegar a caminhos que venham valorizar de modo justo o Magistério.



A separação entre os alunos em idade infantil e adolescentes foi importante e fundamental, pois cada um tem seu nível de entendimento. A reorganização do ensino veio para garantir aos alunos melhor condição de aprendizagem e socialização, a partir do respeito à faixa etária.



Alguns podem dizer que a qualidade do ensino brasileiro é ruim, mas, ainda que lentamente, está progredindo.



Se existe o SER PROFESSOR certamente os obstáculos são ultrapassados e a vitória acontece.



Todos têm chance de ter melhor qualidade de vida integrando realização pessoal e profissional, embora haja dificuldades.



Em relação à comunicação as pessoas normalmente pensam de um jeito, falam de outro e ainda agem de outro. Todavia, o correto é entender o contexto, aceitar as diversidades culturais e o nível de aprendizagem de cada um. Vale lembrar que a educação é constante e conduz a espaços cada vez maiores tornando melhor cada indivíduo.



A LDB de 12/96 propõe formação superior aos professores tornando-os especialistas da Educação. O melhor preparo permite que os educadores tenham mais condições de atuar em sala de aula. Porém, ainda há falta de profissionalismo.



Segundo a LDB, a necessidade de mudanças na metodologia, na didática do professor ainda não foi bem compreendida por muitos educadores.



O SARESP (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) detecta a qualidade de ensino num todo, e ao encontrar problemas determina a busca de meios e soluções visando à superação dos mesmos.



Não obstante, deve existir também interação entre o professor e o Sistema Educacional, para que, com força e união, possam combater os enganos e ilusões.




CONCLUSÃO





- O professor e o aluno devem dispor de recursos para que haja eficiência no ensino informatizado.



- Os envolvidos no processo educativo devem apresentar sugestões satisfatórias.



- As adaptações no ensino podem ocorrer de maneira concreta e efetiva atendendo às necessidades dos educandos.



- A maneira de se comunicar e a importância do contexto na comunicação devem ser partes essenciais na Educação.



- Profissionais competentes são fundamentais na área educativa, pois são responsáveis pela formação intelectual e moral do indivíduo.



- O aluno precisa conscientizar-se de que está na escola para aprender e garantir o seu futuro.



- O professor necessita compreender que deve realmente SER EDUCADOR, porém um EDUCADOR criativo e disposto a enfrentar o novo, os desafios sempre que surgirem.



- O SARESP mostra a realidade do ensino e auxilia o professor a encontrar novas propostas para conquistar melhorias no ensino da escola.

Noêmia A. Lourenço
Curso de Pedagogia – UNIFAI





BIBLIOGRAFIA


GAVALDON, Luiza L. Nós educadores. São Paulo: Loyola.

Nenhum comentário: